28 de Abril: Greve Geral entra para história dos movimentos trabalhistas

Em Ouro Preto, cerca de 1.000 pessoas participaram do Ato Público pela Greve Geral organizado pelo Comitê Central de Mobilização dos Trabalhadores e Estudantes da Região dos Inconfidentes. Em Mariana, trabalhadores e estudantes também se mobilizaram. Houve paralisação da BR-356 e também o Grande Ato em defesa dos direitos na histórica praça Minas Gerais.

Multidão nas Ruas!

Aproximadamente 1.000 pessoas estiveram na Praça Tiradentes em Ouro Preto – berço histórico de luta pela liberdade – neste 28 de abril para exigir o fim imediato da política ultra neoliberal do governo Temer. O ato foi convocado pelo Sindicato ASSUFOP, Sindsfop, ADUFOP, SINASEFE IFMG, DCE UFOP, Ocupa UFOP; SindUte; Sind. Metalúrgicos e SInd. Metabase Inconfidentes.

Trabalhadores da iniciativa privada, professores, estudantes, servidores públicos, populares, líderes de movimentos sociais e membros da Igreja Católica lutaram contra as reformas trabalhista e previdenciária e contra o tsunami de corrupção dos políticos em Brasília.

Mobilização teve início de Madrugada

Em Mariana, às 04h30, 50 trabalhadores paralisaram a BR-356 que liga o leste de Minas Gerais à região central do estado por aproximadamente duas horas. A interrupção da rodovia contou com apoio de alguns motoristas que solidarizaram com a luta de âmbito nacional contra a reforma da previdência e trabalhista. Evidentemente, tiveram pessoas que tentaram  furar o bloqueio, no entanto, foram contidas pelo cordão de pessoas que se formou num trecho da rodovia.

 

A BR-356 foi liberada após negociação dos integrantes do Comitê Central de Mobilização com a Polícia Militar. Horas depois, trabalhadores e estudantes de Mariana se concentraram na Praça Minas Gerais, às 9h, para um ato público em defesa da previdência social e da CLT – conquistas sociais intermitentemente atacadas pelo governo Temer.

Madrugada do dia 28 em Ouro Preto

A Greve Geral começou cedo em Ouro Preto. Pouco antes das 5 horas da madrugada representantes do ASSUFOP, SINASEFE IFMG; ADUFOP; SindUte; Metalúrgicos e Sindsfop tentaram paralisar a BR-356 em Ouro Preto. Porém a polícia militar já estava no local onde aconteceria o bloqueio, motivo pelo qual inviabilizou a paralisação. Mesmo assim, os representantes se deslocaram para o portão principal da empresa de ônibus do município, Transcotta, convidando os trabalhadores da companhia a participarem da luta e bloquearam a saída dos ônibus. Durante toda movimentação, representantes das entidades distribuíram panfletos sobre a greve geral e as reformas de Temer.

Temer e os políticos de Brasília

As mobilizações da Greve Geral em Mariana e Ouro Preto enfatizaram a política antipovo do Executivo que aniquila direitos históricos para favorecer o grande capital no país. Essa política da devastação empenhada por Temer e apoiada pelo Congresso brasileiro foi lembrada pelos manifestantes que não deixaram de citar todos os deputados mineiros que votaram a favor da reforma trabalhista no dia 26 de abril.

Confira a reportagem feita pelo jornal Voz Ativa : [wpdevart_youtube]bHlmpZuPy2U[/wpdevart_youtube]

Confira a galeria de fotos: