Assembleia decide pela paralisação parcial das atividades no dia 14/09

Em assembleia geral do SINASEFE IFMG realizada na manhã desta segunda-feira (11) em Ouro Preto a maioria dos presentes aprovou a paralisação parcial no dia 14/09, ou seja, interrupção de parte das atividades. Vale lembrar que a paralisação foi indicada pelo SINASEFE  Nacional e faz parte do calendário de luta da categoria. 

O SINASEFE IFMG está à disposição para auxiliar os campi do IFMG na realização das mobilizações referentes à paralisação.


14 de setembro é dia Nacional de Lutas contra a retirada de direitos

A partir do lema “Reforma Trabalhista aqui não”, trabalhadores em todo Brasil realizarão um forte dia de lutas, mobilizações e paralisações em 14 de setembro pela revogação da referida reforma, que após a sanção de Temer irá valer como Lei a partir de novembro. Contudo, antes disso o (des)governo quer aprovar em outubro a Reforma da Previdência. Ou seja, além de querer nos fazer trabalhar como escravos, deseja que seja até a morte.
 
Somam-se às reformas os anúncios do governo de uma série de ataques aos serviços e servidores públicos: aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14% e elevação dos níveis de carreira para 30 – estagnando quem está próximo ao teto da carreira e impondo perdas salariais –, além do congelamento do reajuste salarial previsto para 2018. Temer anunciou também a privatização/venda de 57 empresas estatais, entre elas a Eletrobrás, o que aumentará o valor da energia elétrica e diminuirá a arrecadação do Brasil, ou seja, um ataque à soberania nacional.
 
E tem mais. O governo Temer está aniquilando a educação pública do país retirando os investimentos no setor e cortando gastos. 
Não podemos permitir isso, vamos à luta para derrotar as Reformas, os ataques aos nossos direitos e as privatizações. Vamos colocar para fora Temer e todos corruptos do Congresso Nacional!
 
Em movimento pela defesa dos nossos direitos, dos serviços públicos e buscando a unidade com o conjunto da classe trabalhadora, o Fonasefe – em Reunião Ampliada realizada nos dias 4, 5 e 6 de agostou – decidiu convocar um Dia Nacional de Lutas junto à mobilização dos metalúrgicos rumo a uma nova Greve Geral no Brasil, sob a seguinte bandeira: “Dia Nacional de Lutas, Mobilizações e Paralisações em Defesa dos Serviços Públicos, Contra a Reforma da Previdência e Pela Revogação da Reforma Trabalhista.